terça-feira, 26 de outubro de 2010

SUPERBACTÉRIA KPC – Sintomas e O que é?

Saiba mais e tire suas dúvidas sobre a SUPERBACTÉRIA KPC (Klebsiella Pneumoniae Carbapenemase). Esse artigo foi criado para esclarecimento das pessoas que ainda não ouviram falar da bactéria. O texto é da Dra. Luciana Leite Pineli Simões Presidente CCIH/HDT. Veja aqui como se prevenir da SUPERBACTÉRIA KPC.

Sintomas da SUPERBACTÉRIA KPC

Os sintomas da SUPERBACTÉRIA KPC até o momento ainda não foram corretamente diagnosticados, porém a KPC se manifesta com os sintomas normais de outras infecções como febre, dores na bexiga (se for o caso de uma infecção urinária), tosse (se for uma infecção respiratória).

O que é uma bactéria KPC?

É uma bactéria que produz uma enzima conhecida como carbapenemase que confere à bactéria a capacidade de resistência aos antibióticos Carbapenêmicos tais como Imipenem, Meropenem e Ertapenem, que são antibióticos de amplo espectro utilizados principalmente em ambiente hospitalar

Quais são as bactérias produtoras de KPC?

Além da Klebsiella pneumoniae (que foi primeiramente descrita), a KPC ela tem sido relacionada às bactérias Klebsiella oxytoca, Enterobacter spp, E.coli, Salmonella, Serratia spp e Pseudomonas aeruginosa isoladas normalmente em pacientes hospitalizados.

Somente as bactérias KPC são resistentes aos antibióticos?

Não. Existem várias bactérias e várias formas delas se tornarem resistentes, a produção de KPC é apenas uma delas.

O que favorece o aparecimento de bactérias resistentes como as bactérias KPC?

O surgimento de bactérias resistentes (não somente produtoras de KPC) aos antibióticos tem sido relacionado a múltiplos fatores sendo que o uso indiscriminado dos antibióticos é um dos mais importantes. Essa tem sido uma realidade dentro, mas também fora dos hospitais, uma vez que já são detectadas bactérias multirresistentes em infecções adquiridas na comunidade (por outros mecanismos que não KPC). Assim o uso de antibióticos somente com prescrição médica, e nos hospitais, o controle dos antibióticos pelas CCIHs são medidas vitais para o controle da emergência destas bactérias.

As bactérias KPC estão disseminadas no Brasil e no mundo?

Elas foram descritas inicialmente nos EUA, em 2001, e desde então vários países da Europa, Ásia e América do Sul incluindo o Brasil já relataram casos. Estas são bactérias em geral associadas com as Infecções relacionadas à Assistência à Saúde (conhecidas anteriormente como “infecções hospitalares”).


Quais as medidas para evitar a disseminação das bactérias possivelmente produtoras de KPC nos hospitais?

A identificação precoce dos indivíduos infectados pela bactéria por meio das técnicas apropriadas de microbiologia e adoção de medidas de prevenção e controle como isolamento dos casos, reforço das atividades de higienização de ambiente, materiais e equipamentos, higienização das mãos dos profissionais de saúde e uso das boas práticas para realização dos procedimentos médicos hospitalares. Além disso, o tratamento adequado dos casos com antibióticos especiais deve ser garantido pelos gestores de saúde. Estas medidas devem ser orientadas pelas CCIHs dos hospitais cuja obrigatoriedade de existência está amparada pela Portaria 2616/1998 do Ministério Saúde.

FONTE: Notícias Mais

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê a sua opinião

FACEBOOK